Notícias
Mano exalta empate do Cruzeiro diante do Flamengo
O Flamengo saiu na frente do Cruzeiro nesta quinta-feira (7), mas a Raposa não se abateu e conseguiu arrancar o empate em 1 a 1 no Maracanã. O técnico Mano Menezes exaltou o resultado dos mineiros, mas fez um alerta para o duelo da volta. – Saímos com um bom resultado e levamos a decisão para a nossa casa. Lá em Belo Horizonte a arquibancada e as camisas vão mudar de cor. Em parte saímos satisfeitos. Acreditamos que foi tudo dentro da normalidade para este primeiro jogo. Saímos atrás no placar e depois conseguimos empatar. A decisão está em aberto e agora será em casa – destacou. O segundo jogo da decisão da Copa do Brasil será disputada no próximo dia 27, uma quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), no Estádio do Mineirão, em Belo Horizonte (MG). Fonte: Assessoria CBF...
Leia Mais...
Notícias
Rueda diz que Flamengo não soube "matar" o jogo
No primeiro jogo da decisão da Copa do Brasil 2017, o Flamengo saiu na frente do Cruzeiro, mas acabou sofrendo o empate na reta final da partida. O técnico rubro-negro, Reinaldo Rueda, lamenta o fato de que o time da Gávea não conseguiu aumentar a vantagem enquanto esteve melhor na partida para garantir o triunfo. – Réver teve conceito muito claro sobre a partida. Depois do 1 a 0 faltou o Flamengo controlar a emoção, evitar que o Cruzeiro tivesse oportunidade. Faltou acabar o jogo com 1 a 0, com ordem. Quem sabe foi esse o pecado – destacou. A partida de volta da decisão da Copa do Brasil será disputada no próximo dia 27, uma quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), no Estádio do Mineirão, em Belo Horizonte (MG). Fonte: Assessoria CBF...
Leia Mais...
Notícias
Flamengo e Cruzeiro empatam no 1ªjogo da decisão
Os primeiros noventa minutos da decisão da Copa do Brasil 2017 foram disputados na noite desta quinta-feira (7). Para honrar a tradição do Feriado da Independência do Brasil, Flamengo-RJ e Cruzeiro-MG justificaram as respectivas vagas na final da competição mais democrática do país e desfilaram com um belo futebol no gramado do Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ). O confronto terminou com empate em 1 a 1. O jovem atacante Lucas Paquetá balançou a rede pelo time da casa e o meia uruguaio Arrascaeta garantiu o empate para a Raposa. Não há gol qualificado na decisão da Copa do Brasil. Desta forma, em caso de empate por qualquer placar no duelo da volta, o campeão será conhecido através das cobranças de pênaltis. A partida começou de forma bastante disputada, com muitas divididas no meio-campo. Aos sete minutos, Diego fez boa jogada e serviu Berrío, que assustou os mineiros com um desvio na direção do gol. Na marca dos 26, nova oportunidade do Flamengo. Diego levantou a bola na entrada na área, Arão tocou de cabeça para trás e obrigou Fábio a operar um verdadeiro milagre para evitar o gol. Na etapa final, o Cruzeiro voltou melhor e, aos 12 minutos, Thiago fez grande defesa para evitar o gol mineiro em finalização de primeira do meia Alisson. A resposta do Rubro-Negro saiu oito minutos mais tarde. Arão tabelou com Paquetá e bateu para o gol. Léo entrou de carrinho e salvou o que seria o primeiro dos cariocas. Nos instantes finais, o confronto ficou mais aberto. Quando o cronômetro alcançou a marca dos 30, a rede, enfim, balançou. Após cruzamento na área, Réver bateu forte e Fábio fez grande defesa. No rebote, Lucas Paquetá chegou antes de Hudson e abriu o placar no Maracanã. Quando a vitória do Flamengo já parecia encaminhada, aos 38 minutos, Hudson arriscou de fora da área, o goleiro Thiago não conseguiu segurar e Arrascaeta apareceu para evitar a derrota celeste. A partida de volta da decisão da Copa do Brasil será disputada no próximo dia 27, uma quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), no Estádio do Mineirão, em Belo Horizonte (MG). Fonte: Assessoria CBF...
Leia Mais...
Notícias
Guerrero: o cara do Flamengo na Copa do Brasil
Ídolo e artilheiro de uma Nação inteira, Paolo Guerrero firmou sua importância para a equipe do Flamengo ao longo da atual temporada – já são 19 bolas na rede. A participação do camisa 9 rubro-negro pode ser sentida ainda mais notoriamente na disputa da Copa do Brasil. Destaque do Flamengo na competição, Guerrero foi decisivo na classificação da equipe em todas as fases do mata-mata que o Flamengo enfrentou no torneio. O Rubro-Negro entrou na Copa do Brasil a partir das Quinta fase (Oitavas de Final) E já de cara, o centroavante deixou sua marca. Em sua estreia na competição, Guerrero deixou o dele contra o Atlético/GO. Na fase seguinte, contra o Santos, outro desempenho de destaque: outra bola na rede e duas assistências nas duas partidas contra o Peixe nas quartas de finais. Contra o Botafogo, Guerrero ficou fora do primeiro jogo por lesão. Na segunda partida, que classificou o Flamengo para sua sétima final da Copa do Brasil, o atacante foi eleito o melhor em campo. Agora, é pensar no Cruzeiro na grande decisão, que começa na próxima quinta-feira (9), no Maracanã. Guerrero será desfalque no primeiro jogo – suspenso por número de cartões amarelos. Mas a julgar pelo desempenho até agora, Paolo Guerrero promete ser o grande trunfo para o Flamengo chegar ao quarto título da Copa do Brasil. Confira abaixo as médias do destaque Rubro-Negro na competição – dados extraídos do Wyscout: Jogos: 4 Cartão Amarelo: 0,75 p/jogo Minutos: 90 p/jogo Cartão Vermelho: 0 Gols: 0,5 p/jogo Dribles: 3,5 p/jogo Assistências: 0,5 p/jogo Roubadas: 0 Toques na bola: 25 p/jogo Passes (%): 19 p/jogo (77%) Chutes (Aproveitamento %): 3,5 p/jogo (58%) Passes Longos: 1,5 p/jogo (50%) Faltas Cometidas: 2,5 p/jogo Enfiadas: 0,5 p/jogo (12,5%) Faltas Sofridas: 3 p/jogo Cruzamentos: 0 Fonte: Assessoria CBF...
Leia Mais...
Notícias
Thiago Neves: o cara do Cruzeiro na Copa do Brasil
Pouco antes de estrear pelo Cruzeiro, em fevereiro deste ano, o meia Thiago Neves deixou um recado para a torcida celeste: garantiu marcar 20 gols e dar pelo menos 15 assistências na temporada. Lá se vão sete meses desde a promessa e o craque celeste mostra que está disposto a cumpri-la. Já são 12 bolas na rede e nove passes para gol em 2017. Grande parte desses números é fruto do desempenho de TN30 na Copa do Brasil. Finalista do torneio, o craque mostrou, desde o início da competição, que o Cruzeiro não estava para brincadeira. Destaque absoluto do time desde a Segunda Fase, Thiago Neves é o articulador e cérebro do poderoso ataque celeste na competição – foram 22 gols marcados pela Raposa. Segundo dados do Wyscout, em onze partidas que disputou, o meia deu assistência em cinco delas. Foram seis ao todo na competição. Fora os passes açucarados, o TN30 é um dos jogadores mais participativos do Cruzeiro. Ele está entre os que mais finalizam a gol e entre os que mais tocam na bola. Não à toa liderou o Cruzeiro no caminho para a sétima final de Copa do Brasil da história do clube. Agora, a decisão será contra o Flamengo, rival celeste na final de 2003 e ex-equipe de Thiago Neves. A primeira partida será nesta quinta-feira (7) no Maracanã. Um gramado que a esperança celeste conhece muito bem. Confira abaixo as médias do destaque Celeste na competição – dados extraídos do Wyscout: Jogos: 11 Cartão Amarelo: 0,18 p/jogo Minutos: 83,6 p/jogo Cartão Vermelho: 0 Gols: 0,18 p/jogo Dribles: 3,82 p/jogo Assistências: 0,54 p/jogo Roubadas: 0,82 p/jogo Toques na bola: 37 p/jogo Passes (%): 32 p/jogo (81,4%) Chutes (Aproveitamento %): 2,63 p/jogo Passes Longos: 2,1 p/jogo (44%) Faltas Cometidas: 1,7 p/jogo Enfiadas: 1,54 p/jogo (43%) Faltas Sofridas: 2,53 p/jogo Cruzamentos: 0,45 p/jogo (13%) Fonte: Assessoria CBF...
Leia Mais...
Notícias
Copa do Brasil: campanhas de Flamengo e Cruzeiro
Flamengo e Cruzeiro. Cruzeiro e Flamengo. As duas equipes protagonizam mais uma decisão de Copa do Brasil. A primeira foi em 2003. Naquele ano, o Cruzeiro comandado por Vanderlei Luxemburgo e liderado por Alex, Gomes e companhia derrotou o Flamengo de Felipe, Edílson, Júlio César e Athirson, e levou o caneco para Belo Horizonte. Exatos 14 anos depois, as equipes reeditam aquela decisão em vermelho, preto e azul. A sétima final de Copa do Brasil dos clubes. O Cruzeiro é tetracampeão (1993, 1996, 2000 e 2003). O Flamengo é tri (1990, 2006 e 2013). Na atual edição da competição, tanto Cruzeiro quanto Flamengo apresentam números que justificam as respectivas presenças na decisão. A equipe celeste disputou a competição desde a primeira fase e realizou 12 jogos até a final. Segundo dados do Wyscout, foram 22 gols marcados no torneio – média de 1,83 por jogo. Em suas partidas, a Raposa tem média de 47% de posse de bola. Apesar de ficar menos com a bola, o Cruzeiro joga um futebol direto e vertical, próximo à área adversária. E as estatísticas mostram bem esse estilo: a equipe cria em média 9,5 chances por jogo, finaliza 11,6 vezes – 57% dos chutes são de fora da área, e explora pouco os contra-ataques: apenas 3,8 por partida. O Cruzeiro aposta na compactação da defesa – rouba 83,4 bolas por jogo – e busca o gol sempre que tem a bola nos pés. Já o Flamengo entrou na competição na Quinta Fase (Oitavas de final), em função da participação na Libertadores deste ano. Ao todo, o Rubro-Negro disputou seis confrontos até o caminho da finalíssima da Copa do Brasil. E as estatísticas, mais uma vez, refletem o esquema e estilo de jogo do time na temporada. O Mais Querido controla a bola 53% do tempo de jogo. Com isso, troca em média 429 passes por jogo. O aproveitamento bate os 85%. Assim, a equipe se vale do velho ditado de que a melhor defesa é o ataque – conserva a posse de bola e combate o adversário no campo de defesa. Por isso, são 78,8 roubadas de bola por jogo. Com um futebol veloz e apoiado pelas laterais do campo, o Rubro-Negro explora os contra-ataques como estratégia para desmontar os adversários: de acordo com números do Wyscout, são 5,6 contra-ataques por partida. A chegada pelos lados do campo complementa o jogo incisivo da equipe, com média de 4,1 cruzamentos por duelo e cerca de 11 chutes a gol por jogo. Um perigo iminente para a zaga rival. As finais da Copa do Brasil de 2017 já batem à porta. Neste dia 7 de setembro, a primeira partida será disputada no Maracanã às 21h45 e o primeiro passo rumo ao título será dado. No duelo entre rivais de longa data, só se pode esperar por um ótimo espetáculo de futebol. Fonte: Assessoria CBF...
Leia Mais...
Notícias
Campeões da Copa do Brasil de Futebol: 1989 a 2016
A Copa do Brasil é uma das competições organizadas pela Confederação Brasileira de Futebol. É o campeonato nacional mais democrático, que envolve clubes e torcedores de todos os estados brasileiros, e garante ao campeão uma vaga na disputa da Taça Libertadores da América, principal competição Sul-Americana. Em 2017, a competição passou a ter 91 clubes participantes. A Copa do Brasil é realizada desde 1989 e já premiou 15 equipes diferentes. Confira abaixo a lista completa e clique no link ao lado do nome do campeão para ler mais detalhes de cada conquista e da edição do torneio. Os campeões da Copa do Brasil - 1989 a 2016 1989 - Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense ( + sobre a conquista do Tricolor gaúcho) 1990 - Clube de Regatas do Flamengo ( + sobre a conquista do Rubro-Negro carioca) 1991 - Criciúma Esporte Clube ( + sobre a conquista inédita do Tigre) 1992 - Sport Club Internacional ( + sobre a conquista do Colorado) 1993 - Cruzeiro Esporte Clube ( + sobre a conquista da Raposa) 1994 - Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense ( + sobre a conquista do bicampeonato) 1995 - Sport Club Corinthians Paulista ( + sobre a conquista do Timão) 1996 - Cruzeiro Esporte Clube ( + sobre a conquista do bicampeonato) 1997 - Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense ( + sobre a conquista do tricampeonato) 1998 - Sociedade Esportiva Palmeiras ( + sobre a conquista do Verdão) 1999 - Esporte Clube Juventude ( + sobre a conquista inédita da Juve) 2000 - Cruzeiro Esporte Clube ( + sobre a conquista do tricampeonato) 2001 - Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense ( + sobre a conquista do tetracampeonato) 2002 - Sport Club Corinthians Paulista ( + sobre a conquista do bicampeonato) 2003 - Cruzeiro Esporte Clube ( + sobre a conquista do tetracampeonato) 2004 - Esporte Clube Santo André ( + sobre a conquista inédita do Santo André) 2005 - Paulista Futebol Clube ( + sobre a conquista inédita do Paulista) 2006 - Clube de Regatas do Flamengo ( + sobre a conquista do bicampeonato) 2007 - Fluminense Football Club ( + sobre a conquista do Tricolor carioca) 2008 - Sport Club do Recife ( + sobre a conquista do Leão da Ilha) 2009 - Sport Club Corinthians Paulista ( + sobre a conquista do tricampeonato) 2010 - Santos Futebol Clube ( + sobre a conquista do Peixe) 2011 - Club de Regatas Vasco da Gama ( + sobre a conquista do Cruzmaltino) 2012 - Sociedade Esportiva Palmeiras ( + sobre a conquista do bicampeonato) 2013 - Clube de Regatas do Flamengo ( + sobre a conquista do tricampeonato) 2014 - Clube Atlético Mineiro ( + sobre a conquista inédita do Galo) 2015 - Sociedade Esportiva Palmeiras ( + sobre a conquista do tricampeonato) 2016 - Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense ( + sobre a conquista do pentacampeonato) Fonte: Assessoria CBF...
Leia Mais...
Notícias
Palmeiras, campeão da Copa do Brasil 2012
O bicampeonato da Copa do Brasil da Sociedade Esportiva Palmeiras foi marcante. Mais do que a campanha invicta, o título representou a quebra de um jejum de mais de dez anos sem títulos nacionais. O técnico Luiz Felipe Scolari e seus comandados entraram para a história com uma cabeçada de Betinho, em final disputada contra o Coritiba. Na campanha palestrina, foram 11 jogos, com oito vitórias e três empates. A caminhada alviverde na competição começou diante do Coruripe-AL. O Verdão venceu a ida, fora de casa, por 1 a 0, e conquistou a classificação tranquila para a próxima fase com triunfo por 3 a 0 na volta. Na fase seguinte, o adversário foi o Horizonte-CE. O Palmeiras venceu por 3 a 1 no Domingão e eliminou o segundo jogo. Nas Oitavas de Final, o clube palestrino passou pelo Paraná com duas vitórias: 2 a 1 na ida, em Curitiba, e 4 a 0 na volta, em Barueri. Na sequência, nas Quartas, o Atlético-PR foi o adversário. Os paulistas seguraram empate em 2 a 2 no primeiro encontro, fora de casa, e venceram em casa, por 2 a 0. Na semifinal, o Palmeiras passou pelo Grêmio em confrontos antológicos. Com gols de Mazinho e Barcos já na reta final da partida, no Estádio Olímpico, a equipe saiu com 2 a 0. Na volta, os paulistas seguraram empate em 1 a 1 e avançaram. Na grande decisão, o adversário foi o Coritiba. O Palmeiras usou a bola parada para vencer, no talento de Marcos Assunção. Logo no primeiro jogo, disputado em Barueri, o volante levantou a bola na área e Betinho foi derrubado: pênalti. Valdívia marcou na cobrança. No segundo tempo, Assunção cobrou nova falta e Thiago Heleno converteu, garantindo uma boa vantagem para o confronto de volta. No Couto Pereira, Ayrton abriu o placar para o time da casa e deixou o Verdão ligado. Marcos Assunção novamente apareceu e ajudou a encaminhar a conquista. O atleta cobrou falta com maestria e Betinho marcou de cabeça. Palmeiras bicampeão da Copa do Brasil. Relembre a trajetória do campeão: PRIMEIRA FASECoruripe 0 x 1 Palmeiras - Rei Pelé, Maceió (AL)Palmeiras 3 x 0 Coruripe - Jayme Cintra, Jundiaí (SP) SEGUNDA FASEHorizonte 1 x 3 Palmeiras - Domingão, Horizonte (CE) OITAVAS DE FINALParaná 1 x 2 Palmeiras - Durival de Britto, Curitiba (PR)Palmeiras 4 x 0 Paraná - Arena Barueri, Barueri (SP) QUARTAS DE FINALAtlético-PR 2 x 2 Palmeiras - Durival de Britto, Curitiba (PR)Palmeiras 2 x 0 Atlético-PR - Arena Barueri, Barueri (SP) SEMIFINALGrêmio 0 x 2 Palmeiras - Olímpico, Porto Alegre (RS)Palmeiras 1 x 1 Grêmio - Arena Barueri, Barueri (SP) FINALPalmeiras 2 x 0 Coritiba - Arena Barueri, Barueri (SP)Coritiba 1 x 1 Palmeiras - Couto Pereira, Curitiba (PR) Foto: Palmeiras / Divulgação Fonte: Assessoria CBF...
Leia Mais...
Notícias
Flamengo, campeão da Copa do Brasil 2013
Em uma noite iluminada do atacante Hernane, o Flamengo conquistou sua terceira Copa do Brasil no Maracanã diante de sua torcida, com vitória por 2 a 0 sobre o Atlético Paranaense. O Brocador deixou o dele já nos últimos minutos da partida. Já Elias, um dos destaques da campanha, abriu o placar para o Rubro-Negro Carioca no segundo tempo. O título chegou para mudar o ambiente do Flamengo, que vivia uma recente troca de técnico após momento de crise. O interino Jaime de Almeida assumiu a equipe no lugar de Mano Menezes. O Fla venceu 11 das 14 partidas que disputou na Copa do Brasil de 2013. Foram ainda dois empates e apenas uma derrota, nas semifinais, contra o Cruzeiro. O Rubro-Negro Carioca somou o seu terceiro título da Copa do Brasil (1990, 2006 e 2013). Está atrás apenas de Cruzeiro, com quatro, e Grêmio, com cinco. Muito importante na campanha rubro-negra foi o Estádio do Maracanã. O templo do futebol havia sido liberado após a disputa da Copa das Confederações e o reencontro da torcida com a sua casa foi a química perfeita para incendiar o Flamengo. Foram quatro jogos sediados no estádio, com média de público acima de 50 mil torcedores. Relembre a campanha do campeão:PRIMEIRA FASERemo 0 x 1 FlamengoFlamengo 3 x 0 Remo SEGUNDA FASECampinense 1 x 2 FlamengoFlamengo 2 x 1 CampinenseTERCEIRA FASE ASA 0 x 2 FlamengoFlamengo 2 x 1 ASAOITAVAS DE FINALCruzeiro 2 x 1 FlamengoFlamengo 1 x 0 CruzeiroQUARTAS DE FINALFlamengo 1 x 1 BotafogoBotafogo 0 x 4 FlamengoSEMIFINALGoiás 1 x 2 FlamengoFlamengo 2 x 1 Goiás FINALAtlético-PR 1 x 1 Flamengo 27 de novembro - Flamengo 2 x 0 Atlético-PR – Maracanã Fonte: Assessoria CBF...
Leia Mais...
Notícias
Vasco da Gama, campeão da Copa do Brasil 2011
O dia oito de junho de 2011 é inesquecível para os cruzmaltinos. O Club de Regatas Vasco da Gama não conquistava um título em competições nacionais há 11 anos. O grito entalado na garganta do torcedor foi solto após um jogo memorável diante do Coritiba, em pleno Couto Pereira, que terminou com derrota por 3 a 2. O gol salvador de Eder Luis, com chute forte do meio da rua, garantiu o troféu por conta da vitória por 1 a 0 na ida, em São Januário. Foi uma campanha com cinco vitórias, cinco empates e apenas uma derrota. O Vasco iniciou a trajetória na competição com goleada por 6 a 1 no Comercial-MS, eliminando o duelo da volta. Na Segunda Fase, o clube da Colina ficou no 0 a 0 com o ABC fora de casa, mas garantiu a classificação com o triunfo na segunda partida, por 2 a 1. Nas Oitavas de Final, o Gigante da Colina foi com tudo para os Aflitos e venceu por 3 a 0. No duelo de volta, nada de gols em São Januário. O adversário na fase seguinte foi o Atlético-PR e o Cruzmaltino passou com dois empates: 2 a 2 na Arena da Baixada e 1 a 1 no Rio de Janeiro. Na semifinal, o time começou com tropeço em casa: 1 a 1 com o Avaí. Na volta, Diego Souza, com uma bela atuação, botou a Cruz de Malta na decisão ao conduzir a equipe ao triunfo por 2 a 0. A partida inesquecível diante do Coritiba começou com vitória em casa, pela vantagem magra. O time comandado pelo técnico Ricardo Gomes entrou em campo nervoso, mas garantiu o resultado positivo com gol marcado pelo atacante Alecsandro, o Alecgol. O goleiro Fernando Prass e os meias Bernardo e Diego Souza, este último como em praticamente todos os jogos da campanha, tiveram boas atuações e foram fundamentais para o triunfo. No duelo da volta, novamente Alecgol e Eder Luis, com um chutaço de longe, garantiram o título mesmo com a derrota pelo placar de 3 a 2. Relembre a trajetória do campeão: PRIMEIRA FASE23 de fevereiro - Comercial-MS 1 x 6 Vasco - Estádio Morenão SEGUNDA FASE30 de março - ABC 0 x 0 Vasco - Frasqueirão 6 de abril - Vasco 2 x 1 ABC - São Januário OITAVAS DE FINAL13 de março - Náutico 0 x 3 Vasco - Aflitos 27 de março - Vasco 0 x 0 Náutico - São Januário QUARTAS DE FINAL4 de maio - Atlético-PR 2 x 2 Vasco - Arena da Baixada12 de maio - Vasco 1 x 1 Atlético-PR - São Januário SEMIFINAL 18 de maio - Vasco 1 x 1 Avaí - São Januário25 de maio - Avaí 0 x 2 Vasco - Ressacada FINAL1º de junho - Vasco 1 x 0 Coritiba - São Januário8 de junho - Coritiba 3 x 2 Vasco - Couto Pereira Foto: Marcelo Sadio / Vasco Fonte: Assessoria CBF...
Leia Mais...
Notícias
Santos, campeão da Copa do Brasil 2010
Liderado por Neymar, Ganso, Robinho e Cia, o Santos Futebol Clube conquistou o título inédito em 2010 e entrou para o grupo dos campeões da Copa do Brasil. Para levantar o troféu, o Peixe contou com um futebol ofensivo durante as 11 partidas. Ao todo, foram 39 gols marcados e 15 sofridos. O artilheiro do time na competição foi ninguém menos que Neymar. Com apenas 18 anos de idade, o menino da Vila liderou as estatísticas com 11 gols na sua conta. Na estreia, o Santos superou o Naviraiense por 1 a 0, mas não conseguiu evitar o jogo de volta. Na Vila Belmiro, o Peixe não perdoou, venceu por 10 a 0, mesmo placar da segunda maior goleada da história da Copa do Brasil aplicada pelo São Paulo em cima do Botafogo/PB no Morumbi, no ano de 2001. O maior placar da competição é Atlético-MG 11 x 0 Caiçara-PI, na edição de 91. Na fase seguinte, o Santos eliminou o duelo de volta ao bater o Remo por 4 a 0 no Mangueirão. Na sequência, os meninos da Vila despacharam o Guarani ao golear por 8 a 1 na ida e perder por 3 a 2 no Brinco de Ouro. Pelo mesmo placar, o time santista saiu atrás no confronto com o Atlético/MG, mas reverteu a desvantagem ao vencer por 3 a 1 na Vila. Na semifinal, a história se repetiu e a classificação veio após a derrota por 4 a 3 para o Grêmio, em Porto Alegre, e o triunfo por 3 a 1 em casa. Após a parada para a realização da Copa do Mundo em 2010, Santos e Vitória decidiram o título da Copa do Brasil. Com gols de Marquinhos e Neymar, o Peixe saiu na frente da disputa e levou uma boa vantagem para a grande final em Salvador. Mesmo com a derrota por 2 a 1 no Barradão, o time santista se sagrou campeão do torneio nacional pela primeira vez. Relembre a trajetória do campeão: PRIMEIRA FASE 24 de fevereiro - Naviraiense/MS 0 x 1 Santos - Morenão10 de março - Santos 10 x 0 Naviraiense/MS - Vila Belmiro SEGUNDA FASE 18 de março - Remo 0 x 4 Santos - Mangueirão OITAVAS DE FINAL 14 de abril - Santos 8 x 1 Guarani - Vila Belmiro21 de abril - Guarani 3 x 2 Santos - Brinco de Ouro QUARTAS DE FINAL 29 de abril - Atlético/MG 3 x 2 Santos - Mineirão5 de maio - Santos 3 x 1 Atlético/MG - Vila Belmiro SEMIFINAL 12 de maio - Grêmio 4 x 3 Santos - Olímpico19 de maio - Santos 3 x 1 Grêmio - Vila Belmiro FINAL 28 de julho - Santos 2 x 0 Vitória - Vila Belmiro4 de agosto - Vitória 2 x 1 Santos - Barradão Fonte: Assessoria CBF...
Leia Mais...
Notícias
Sport, campeão da Copa do Brasil 2008
Foram 12 duelos e muita luta para o torcedor do Rubro-Negro Pernambucano poder finalmente soltar o grito de campeão na Copa do Brasil. O título inédito para o Sport Club do Recife veio no dia 11 de junho de 2008, na Ilha do Retiro, diante de sua torcida. O capitão Durval ergueu a taça da competição depois de uma vitória por 2 a 0 diante do Corinthians. A virada heróica contra o Timão, depois da derrota no primeiro no jogo por 3 a 1, simbolizava a trajetória guerreira do time pernambucano. A caminhada do Sport começou fora de casa, com um empate por 2 a 2 diante do Imperatriz-MA. Após o tropeço inicial, a equipe nordestina engatou três vitórias consecutivas: no jogo de volta da Primeira Fase e nos dois confrontos contra o Brasiliense, na fase seguinte. Nas Oitavas de Final, o Leão passou pelo primeiro grande desafio na competição: eliminou o Palmeiras. Depois de empatar com o time paulista no Palestra Itália, o Rubro-Negro venceu Alviverde por 4 a 1 na Ilha do Retiro. No Beira-Rio, pelas Quartas de Final, veio o segundo revés: 1 a 0 para o Internacional. Precisando vencer para seguir vivo na briga pelo título, os pernambucanos fizeram o dever de casa e venceram os gaúchos por 3 a 1. Um dos momentos mais inesquecíveis da campanha aconteceu nas semifinais. Contra o Vasco, o Sport venceu a primeira partida por 2 a 0. No Rio de Janeiro, os cruzmaltinos reagiram e conquistaram a vitória pelo mesmo placar do jogo de ida. Decisão nas penalidades e todas as cobranças pernambucanas nas redes de São Januário. Na decisão, mais um grande desafio a ser construído: reverter em casa o placar de 3 a 1 aplicado pelo Corinthians no primeiro confronto. Com gols de Carlinhos Bala e Luciano Henrique, o Leão fez o que precisava para conquistar a taça da competição mais democrática do Brasil em 2008. Trajetória da conquista do Leão PRIMEIRA FASE27 de fevereiro - Imperatriz 2 x 2 Sport - Epifâneo d'Abadia5 de março - Sport 4 x 1 Imperatriz - Ilha do Retiro SEGUNDA FASE2 de abril - Brasiliense 1 x 2 Sport - Boca do Jacaré9 de abril - Sport 4 x 1 Brasiliense - Ilha do Retiro OITAVAS DE FINAL24 de abril - Palmeiras 0 x 0 Sport 0 - Palestra Itália30 de abril - Sport 4 x 1 Palmeiras - Ilha do Retiro QUARTAS DE FINAL7 de maio - Internacional 1 x 0 Sport - Beira-Rio14 de maio - Sport 3 x 1 Internacional - Ilha do Retiro SEMIFINAL21 de maio - Sport 2 x 0 Vasco - Ilha Retiro28 de maio - Vasco 2 (4) x 0 (5) Sport - São Januário FINAL4 de junho - Corinthians 3 x 1 Sport - Morumbi11 de junho - Sport 2 x 0 Corinthians - Ilha do Retiro Fonte: Assessoria CBF...
Leia Mais...
Notícias
Fluminense, o campeão da Copa do Brasil 2007
Depois de 23 anos sem conquistar um título em competições nacionais do grupo de elite, o Fluminense consagrava-se campeão da Copa do Brasil em 2007. Para chegar ao tão sonhado título, o Tricolor fez 12 confrontos, com seis vitórias, cinco empates e apenas uma derrota. Abraçado pela torcida, o clube das Laranjeiras venceu o Figueirense na final com um empate dentro de casa e uma vitória suada na decisão por 1 a 0. Placar magro, mas que rendeu a taça inédita da competição a equipe carioca. Com um início arrasador, o Fluminense venceu os três primeiros jogos da campanha. Na Primeira Fase, contra o Adesg-AC, vitória fora de casa e goleada no Maracanã por 6 a 0. Diante do América-RN, na Segunda-Fase, mais uma vitória, dessa vez no Frasqueirão, por 2 a 1. No confronto de volta, veio o único revés da campanha: 1 a 0 para o Mecão, insuficiente para o time do Rio Grande do Norte tirar a classificação da equipe carioca. Já no duelo entre tricolores pelas Oitavas de Final, o número de gols marcados na Fonte Nova garantiu a vaga dos cariocas sobre o Bahia. Assim começou a saga do Fluminense com decisões longe dos seus domínios. Nas Quartas, empate no Maraca contra o Atlético-PR e classificação conquistada na Arena da Baixada com o triunfo por 1 a 0. Contra o Brasiliense, a torcida fez a diferença e o Tricolor venceu em casa por 4 a 2. No jogo de volta, um empate e passaporte carimbado para a decisão. Um dos grandes nomes da conquista do Fluminense, Adriano Magrão se fez presente também na final diante do Figueirense. No Maracanã, o atacante balançou as redes garantindo o empate. No Orlando Scarpelli deu a assistência que resultou no gol de Roger e, por consequência, no inédito título da Copa do Brasil. Trajetória da conquista inédita: PRIMEIRA FASE17 de fevereiro - Adesg-AC 1 x 2 Fluminense - Arena da Floresta28 de fevereiro - Fluminense 6 x 0 Adesg-AC - MaracanãSEGUNDA FASE14 de março - América-RN 1 x 2 Fluminense - Frasqueirão4 de abril - Fluminense 0 x 1 América-RN - MaracanãOITAVAS DE FINAL19 de abril - Fluminense 1 x 1 Bahia - Maracanã25 de abril - Bahia 2 x 2 Fluminense - Fonte NovaQUARTAS DE FINAL2 de maio - Fluminense 1 x 1 Atlético-PR - Maracanã9 de maio - Atlético-PR 0 x 1 Fluminense - Arena da BaixadaSEMIFINAL16 de maio - Fluminense 4 x 2 Brasiliense - Maracanã23 de maio - Brasiliense 1 x 1 Fluminense - Elmo SerejoFINAL30 de maio - Fluminense 1 x 1 Figueirense - Maracanã6 de junho - Figueirense 0 x 1 Fluminense - Orlando Scarpelli Fonte: Assessoria CBF...
Leia Mais...
Notícias
Corinthians, campeão da Copa do Brasil 2009
No dia 1º de julho de 2009, o Corinthians conquistava o tricampeonato da Copa do Brasil. Vencedor em 1995 e 2002, o Timão repetiu a dose e levou o troféu do torneio nacional. A campanha do terceiro título da história do Timão na Copa do Brasil – com cinco vitórias, quatro empates e uma derrota – teve início na vitória por 2 a 0 contra o Itumbiara, em Goiás. O duelo foi marcado pela estreia de Ronaldo Fenômeno com a camisa alvinegra. Assim como na primeira fase, o Corinthians eliminou o jogo de volta contra o Misto/MS ao vencer por 2 a 0 em Campo Grande (MS). O Atlético-PR foi o adversário nas oitavas. O Timão perdia o jogo por 3 a 0 até os 41 minutos do segundo tempo na Arena da Baixada, em Curitiba, mas reagiu com Cristian de falta, aos 41, e Dentinho já nos acréscimos. No Pacaembu, a vitória por 2 a 0, com dois gols de Ronaldo, sacramentou a vaga nas quartas de final. Na sequência da competição, o Alvinegro despachou a dupla carioca Fluminense e Vasco e alcançou a final. Após vencer o primeiro jogo por 2 a 0 no Pacaembu – gols de Jorge Henrique e Ronaldo –, o Corinthians segurou o empate em 2 a 2 com o Internacional no Beira-Rio e soltou o grito de “É campeão!” pela terceira vez na Copa do Brasil. Relembre a trajetória do campeão: PRIMEIRA FASE 4 de março - Itumbiara/GO 0 x 2 Corinthians - Juscelino Kubitschek SEGUNDA FASE 15 de abril - Misto/MS 0 x 2 Corinthians - Morenão OITAVAS DE FINAL 29 de abril - Atlético/PR 3 x 2 Corinthians - Arena da Baixada6 de maio - Corinthians 2 x 0 Atlético/PR - Pacaembu QUARTAS DE FINAL 13 de maio - Corinthians 1 x 0 Fluminense - Pacaembu20 de maio - Fluminense 2 x 2 Corinthians - Maracanã SEMIFINAL 27 de maio - Vasco 1 x 1 Corinthians - Maracanã3 de junho - Corinthians 0 x 0 Vasco - Pacaembu FINAL 17 de junho - Corinthians 2 x 0 Internacional - Pacaembu1º julho - Internacional 2 x 2 Corinthians - Beira-Rio Fonte: Assessoria CBF...
Leia Mais...
Notícias
Flamengo, campeão da Copa do Brasil de 2006
Em uma final de clássico carioca, no Maracanã, o Flamengo conquistou o título da Copa do Brasil de 2006 diante do Vasco. Com uma campanha de oito vitórias, três empates e uma derrota, o Rubro-Negro tornou-se bicampeão da competição tendo Renato como seu goleador, que marcou seis gols. O artilheiro entre as 64 equipes participantes da edição daquele ano foi Valdiram, do Vasco, com sete. Fora de casa, o Flamengo iniciou a competição com empate em 1 a 1 contra o ASA/AL. Na volta, venceu por 2 a 1 e avançou. Na segunda fase, duas vitórias diante do ABC/RN: 1 a 0 fora e 4 a 0 no Rio de Janeiro. Nas oitavas de final, o Maracanã foi palco da vitória por 5 a 1 contra o Guarani, o que o garantiu na fase seguinte mesmo sendo derrotado por 1 a 0 no confronto da volta, em Campinas (SP). Nas quartas, goleou o Atlético/MG por 4 a 1 em casa e ficou no 0 a 0 no Mineirão. Imbatível no Templo do Futebol, o Fla se garantiu na final ao vencer o Ipatinga/MG por 2 a 1 no confronto de volta (na ida, fora de casa, empatou em 1 a 1 com o time mineiro). A disputa do título foi entre dois rivais cariocas: Flamengo e Vasco. No primeiro jogo, o então técnico Ney Franco escalou o Rubro-Negro com trio de zaga e apenas Luizão de atacante. O título, então, começou a se desenhar em uma cartada do treinador: Renato Silva, machucado, deu lugar a Obina. Em seu primeiro toque na bola, o atacante deixou o rótulo de perseguido pela torcida para comemorar o primeiro gol, aos 14 minutos. Três minutos depois, Léo Moura cruzou para Luizão garantir a vitória por 2 a 0, com direito a gritos de "olé" no Maracanã. No confronto decisivo, a tentativa cruzmaltina de reagir e vencer por três gols de diferença sofreu um duro golpe aos 17 minutos: Valdir Papel deu um carrinho em Léo Moura e foi expulso. Coube ao Fla administrar a vantagem e chegar ao gol do título aos 28 minutos, em batida rasteira de Juan que parou na rede de Cássio. Assim, depois de vencer a competição em 1990 e bater na trave três vezes (1997, 2003 e 2004), o Flamengo tornava-se bicampeão da Copa do Brasil com duas vitórias diante do rival carioca. Relembre a trajetória do campeão: PRIMEIRA FASE 22 de fevereiro - ASA/AL 1 x 1 Flamengo - Coaracy da Mata8 de março - Flamengo 2 x 1 ASA - Maracanã SEGUNDA FASE22 de março - ABC 0 x 1 Flamengo - Frasqueirão5 de abril - Flamengo 4 x 0 ABC - Maracanã OITAVAS DE FINAL12 de abril - Flamengo 5 x 1 Guarani/SP - Maracanã19 de abril - Guarani 1 x 0 Flamengo - Brinco do Ouro QUARTAS DE FINAL26 de abril - Flamengo 4 x 1 Atlético/MG - Maracanã3 de maio - Atlético/MG 0 x 0 - Mineirão SEMIFINAL10 de maio - Ipatinga/MG 1 x 1 Flamengo - Ipatingão18 de maio - Flamengo 2 x 1 Ipatinga - Maracanã FINAL19 de julho - Flamengo 2 x 0 Vasco - Maracanã26 de julho - Vasco 0 x 1 Flamengo - Maracanã Fonte: Assessoria CBF...
Leia Mais...
Notícias
Paulista, campeão da Copa do Brasil de 2005
A 17ª edição da Copa do Brasil foi realizada em 2005 e, pela terceira vez, não teve um time que disputava a Série A do Campeonato Brasileiro como campeão. Após Criciúma (1991) e Santo André (2004), a zebra da vez foi o Paulista/SP. Entre 64 times, o Galo da Japi conquistou o título após cinco vitórias, quatro empates e três derrotas, com destaque para duas fases de mata-mata, em que avançou nos pênaltis. O artilheiro daquele ano foi Fred, do Cruzeiro, com 14 gols marcados. Já o goleador do Galo foi mais humilde: o volante Cristian balançou as redes em apenas quatro oportunidades. O Paulista iniciou a trajetória campeã com vitória por 1 a 0 diante do Juventude, no Jayme Cintra. Na volta, avançou após empate em 1 a 1. Na segunda fase, ficou no 1 a 1 com o Botafogo no primeiro jogo, e empatou em 2 a 2 no Maracanã, se garantindo nas oitavas. Então, foi ao Beira-Rio para o primeiro confronto, onde perdeu por 1 a 0 para o Internacional. Na volta, devolveu o placar ao time gaúcho e avançou com vitória por 4 a 2 nos pênaltis, no Jayme Cintra. Nas quartas de final, novamente levou a classificação para as penalidades máximas, com a mesma sequência diante do Figueirense (derrota por 1 a 0 fora, e vitória pelo mesmo placar na volta). Nos pênaltis, venceu por 3 a 1. Na semifinal, eliminou mais um time de Série A. Venceu o Cruzeiro por 3 a 1 em casa e perdeu por 3 a 2 no Mineirão. Com o resultado construído no Jayme Cintra, chegou à final. A decisão foi contra o Fluminense. No primeiro jogo, muito nervosismo e gols apenas na segunda etapa. Márcio Mossoró fez 1 a 0 aos dois minutos, e Léo fechou a conta, aos 38, dando uma boa vantagem para o duelo da volta. Com o Maracanã interditado, a decisão, que aconteceu no dia 22 de junho em São Januário, terminou em 0 a 0, coroando a campanha do Paulista, campeão da Copa do Brasil em 2005. Relembre a trajetória do campeão: PRIMEIRA FASE 16 de fevereiro - Paulista 1 x 0 Juventude - Jayme Cintra2 de março - Juventude 1 x 1 Paulista - Alfredo Jaconi SEGUNDA FASE 16 de março - Paulista 1 x 1 Botafogo - Jayme Cintra6 de abril - Botafogo 2 x 2 Paulista - Maracanã OITAVAS DE FINAL21 de abril - Internacional 1 x 0 Paulista - Beira-Rio5 de maio - Paulista 1 (4) x (2) 0 Internacional - Jayme Cintra QUARTAS DE FINAL11 de maio - Figueirense 1 x 0 Paulista - Orlando Scarpelli 18 de maio - Paulista 1 (3) x (1) 0 Figueirense - Jayme Cintra SEMIFINAL 25 de maio - Paulista 3 x 1 Cruzeiro - Jayme Cintra1º de junho - Cruzeiro 3 x 2 Paulista - Mineirão FINAL15 de junho - Paulista 2 x 0 Fluminense - Jayme Cintra22 de junho - Fluminense 0 x 0 Paulista - São Januário Fonte: Assessoria CBF...
Leia Mais...
Notícias
Santo André, o campeão da Copa do Brasil de 2004
Na 16ª edição da Copa do Brasil, em 2004, 64 times participaram da competição, que teve o Santo André como campeão inédito. Foram quatro vitórias, cinco empates e duas vitórias até o título. Os artilheiros da competição foram Alex Alves, do Botafogo, e Dauri de Amorim, do XV de Novembro, com oito gols cada. Pelo Santo André, o atacante Sandro Gaúcho foi o goleador da equipe, balançando as redes seis vezes. O Santo André iniciou sua participação no torneio na fase preliminar, vencendo o Novo Horizonte por 5 a 0, no Estádio Durval Ferreira Franco. Na segunda fase, venceu o Atlético Mineiro, no jogo de ida, por 3 a 0, em casa, e perdeu por 2 a 0, no Mineirão. Nas oitavas de final, enfrentou o Guarani e empatou nos dois jogos. No primeiro, 1 a 1, e no segundo, 0 a 0 – avançou devido ao critério de desempate de gols marcados fora. Pelas quartas de final, seu adversário foi o Palmeiras. No jogo de ida, empatou por 3 a 3, no Bruno Daniel. Na volta, empatou novamente mas dessa vez por 4 a 4, no Parque Antarctica. Diante do XV de Novembro, na semifinal, derrota por 3 a 4, no Pacaembu, e vitória por 3 a 1, no Olímpico. A grande final foi contra o Flamengo. Na primeira partida, um jogo emocionante. Jogando em casa, o torcedor ramalhino assistiu Roger abrir o placar para o Flamengo, aos 26 minutos do primeiro tempo. O time voltou empenhado para o segundo tempo e, logo aos seis minutos, empatou com Osmar. Oito minutos depois, o Ramalhão virou o placar. Mas, no final do jogo, Athirson empatou para o Rubro-Negro. O Flamengo jogaria a decisão em casa com a vantagem de dois gols feitos fora de casa. No entanto, no dia 30 de junho, no Maracanã, com um público de quase 72 mil pessoas, o Santo André venceu por 2 a 0, com gols de Sandro Gaúcho aos sete minutos, e Élvis, aos 22 do segundo tempo. O jogo acabou e o Santo André conquistou sua maior conquista nacional até hoje. Relembre a trajetória do campeão: PRIMEIRA FASE 18 de fevereiro – Novo Horizonte 0 x 5 Santo André – Durval Franco SEGUNDA FASE 24 de março – Santo André 3 x 0 Atlético-MG – Bruno Daniel 7 de abril – Atlético-MG 2 x 0 Santo André – Mineirão OITAVAS DE FINAL 14 de abril – Guarani 1 x 1 Santo André – Brinco de Ouro 5 de maio – Santo André 0 x 0 Guarani – Bruno Daniel QUARTAS DE FINAL 12 de maio – Santo André 3 x 3 Palmeiras – Bruno Daniel 20 de maio – Palmeiras 4 x 4 Santo André – Parque Antarctica SEMIFINAL 26 de maio – Santo André 3 x 4 XV de Novembro – Pacaembu 9 de junho – XV de Novembro x Santo André – Olímpico FINAL 23 de junho – Santo André 2 x 2 Flamengo – Parque Antarctica 30 de junho – Flamengo 0 x 2 Santo André – Maracanã Fonte: Assessoria CBF...
Leia Mais...
Notícias
Cruzeiro, campeão da Copa do Brasil de 2003
Com 65 participantes na edição de 2003, a Copa do Brasil sagrou o tetracampeonato do Cruzeiro naquele ano. Foram oito vitórias e três empates até o título. O artilheiro da competição foi o atacante Nonato, do Bahia, com nove gols marcados. Pelo time mineiro, Deivid foi quem mais balançou a rede: sete vezes. No primeiro jogo do Cruzeiro, vitória por 4 a 2 diante do Rio Branco-ES, no Sumaré. Na fase seguinte, diante do Corinthians-RN, empate por 2 a 2, em Caicó, e vitória por 7 a 0, no Mineirão. Nas oitavas de final, a Raposa bateu o Vila Nova-GO por 2 a 0, em Belo Horizonte, e venceu por 2 a 1, no Serra Dourada. Diante do Vasco, nas quartas de final, vitória por 2 a 1, em casa, e empate por 1 a 1 em São Januário. Na semifinal, venceu o Goiás por 3 a 2, em Goiânia, e por 2 a 1, no Mineirão. Na grande final, enfrentou o Flamengo. No primeiro jogo, com mais de 70 mil pessoas presentes, o Cruzeiro segurou o empate em 1 a 1, no Maracanã. Já no Mineirão, diante de quase 80 mil pessoas, Deivid abriu o placar logo no primeiro minuto de jogo. Aos 16 minutos, o colombiano Aristizábal marcou mais um. No final da primeira etapa, aos 28 minutos, o zagueiro Luisão fez o terceiro da Raposa. No segundo tempo, o time cruzeirense continuou pressionando a equipe rubro-negra e perdeu diversas chances de gol. Aos 18 minutos, Fernando Baiano marcou pelo Flamengo e diminuiu a vantagem do Cruzeiro. O resultado se manteve até o final da partida e o Cruzeiro conquistou seu quarto título da Copa do Brasil. Relembre a trajetória do campeão: PRIMEIRA FASE 19 de fevereiro – Rio Branco-ES 2 x 4 Cruzeiro – Sumaré SEGUNDA FASE 26 de março – Corinthians-RN 2 x 2 Cruzeiro – Estádio Senador Dinarte Mariz 2 de abril – Cruzeiro 7 x 0 Corinthians-RN – MineirãoOITAVAS DE FINAL 23 de abril – Cruzeiro 2 x 0 Vila Nova-GO – Mineirão 30 de abril – Vila Nova-GO 1 x 2 Cruzeiro – Serra DouradaQUARTAS DE FINAL 7 de maio – Cruzeiro 2 x 1 Vasco – Mineirão 14 de maio – Vasco 1 x 1 Cruzeiro – São JanuárioSEMIFINAL 21 de maio – Goiás 2 x 3 Cruzeiro – Serra Dourada 28 de maio – Cruzeiro 2 x 1 Goiás – MineirãoFINAL 8 de junho – Flamengo 1 x 1 Cruzeiro – Maracanã 11 de junho – Cruzeiro 3 x 1 Flamengo – Mineirão Fonte: Assessoria CBF...
Leia Mais...
Notícias
Grêmio, campeão da Copa do Brasil de 2001
Em 2001, a Copa do Brasil contou com 64 equipes em busca do título da competição. Ao final de 117 partidas disputadas, Grêmio e Corinthians reeditaram a final de 1995. Seis anos antes, o Timão se sagrou campeão pela primeira vez da Copa do Brasil em sua estreia na decisão do torneio. O Grêmio chegava a sua quinta final. Em 2001, a história foi contada por outro vencedor: o Tricolor, comandado pelo técnico Tite derrotou o Timão em duas partidas e levantou a taça da Copa do Brasil pela quarta vez. Artilheiro e destaque da equipe na conquista, Marcelinho Paraíba anotou seis gols na campanha, atrás de Washington – o Coração Valente – a época atacante da Ponte Preta, que marcou 11 vezes na competição. O Grêmio estreou na competição na fase classificatória, contra o Vila Nova-MG. A equipe gaúcha foi derrotada fora de casa por 3 a 2 na partida de ida, mas se recuperou e venceu o confronto de volta por 4 a 1 no Olímpico. Na fase seguinte, o Grêmio enfrentou o Santa Cruz-PE e perdeu a primeira partida por 1 a 0 no Arruda. Na volta, os comandados de Tite fecharam a classificação com uma vitória de 3 a 1 no Olímpico. Nas oitavas, o Grêmio superou o Fluminense com uma vitória por 1 a 0 em Porto Alegre e um empate sem gols no Maracanã. Nas quartas de finais, um duelo de Tricolores: o Grêmio derrotou duas vezes o São Paulo. No Olímpico, vitória por 2 a 1. No Morumbi, vitória de 4 a 3 e classificação para a próxima fase. Nas semifinais, a equipe gaúcha derrotou o Coritiba nas duas partidas e carimbou a vaga para enfrentar o Corinthians na final. A finalíssima contra o Timão marcou o reencontro entre Grêmio e Corinthians depois do duelo na decisão de 1995. Na primeira partida, no Olímpico, um movimentado empate por 2 a 2. O Tricolor saiu em desvantagem no placar e foi buscar a igualdade com duas bolas na rede de Luís Mário, após sair perdendo por dois gols. Na volta, no estádio do Morumbi, o Grêmio passou por cima da vantagem do Corinthians e derrotou o time da casa por 3 a 1, com gols do artilheiro Marcelinho Paraíba, Zinho, além do gol anotado pelo zagueiro tricolor Marinho. Foi o suficiente para o Grêmio conquistar pela quarta vez o título da Copa do Brasil em sua história. Relembre a campanha do tetracampeonato do Grêmio: FASE CLASSIFICATÓRIA 14/03 - Vila Nova-MG 3 x 2 Grêmio-RS - Castor Cifuente, Nova Lima (MG) 21/03 - Grêmio 4 x 1 Vila Nova-MG - Olímpico, Porto Alegre (RS) SEGUNDA FASE 18/04 - Santa Cruz-PE 1 x 0 Grêmio - Arruda, Recife (PE) 26/04 - Grêmio 3 x 1 Santa Cruz-PE - Olímpico, Porto Alegre (RS) OITAVAS DE FINAL 02/05 - Grêmio 1 x 0 Fluminense-RJ - Olímpico, Porto Alegre (RS) 09/05 - Fluminense-RJ 0 x 0 Grêmio - Maracanã, Rio de Janeiro (RJ) QUARTAS DE FINAL 16/05 - Grêmio 2 x 1 São Paulo-SP - Olímpico, Porto Alegre (RS) 23/05 - São Paulo-SP 3 x 4 Grêmio - Morumbi, São Paulo (SP) SEMIFINAL 30/05 - Grêmio 3 x 1 Coritiba-PR - Olímpico, Porto Alegre (RS) 06/06 - Coritiba-PR 0 x 1 Grêmio - Couto Pereira, Curitiba (PR) FINAL 10/06 - Grêmio 2 x 2 Corinthians-SP - Olímpico, Porto Alegre (RS) 17/06 - Corinthians-SP 1 x 3 Grêmio - Morumbi, São Paulo (SP) Fonte: Assessoria CBF...
Leia Mais...
Notícias
Corinthians, o campeão da Copa do Brasil de 2002
A Copa do Brasil de 2002 contou com 64 equipes inscritas na briga pelo título da competição. Iniciada ainda em janeiro daquele ano, foram disputados 115 partidas até a coroação do campeão: o Corinthians. Vice-campeão no ano anterior, o time comandado pelo tetracampeão Carlos Alberto Parreira encarou na finalíssima o Brasiliense, clube recém-fundado e que, com menos de dois anos de existência, já chegava a uma decisão nacional. Na campanha do título de 2002, Deivid, atacante do Corinthians, se sagrou artilheiro da competição com 13 gols em 11 jogos disputados e contribuiu diretamente para a segunda conquista da história do Alvinegro. Na primeira fase, o Timão enfrentou o River Plate-PI. Na partida de ida, vitória por 2 a 1 fora de casa. A equipe fechou a classificação no Pacaembu com outro triunfo, dessa vez por 2 a 0. Na segunda fase, o Corinthians encarou o Americano-RJ no Godofredo Cruz, em Campos (RJ), e goleou os donos da casa por 6 a 2, avançando às oitavas do torneio sem precisar da partida de volta. Na fase seguinte, o Corinthians teve pela frente seu primeiro clássico nacional contra o Cruzeiro-MG. No Morumbi, um empate em 2 a 2 na primeira partida. Na volta, o Corinthians de Parreira surpreendeu os mineiros em pleno Mineirão e venceu por 3 a 2, garantindo a vaga na próxima fase da Copa do Brasil. Nas quartas de finais, o Timão enfrentou o Paraná-PR. Venceu a ida por 3 a 1 no Pacaembu e foi derrotado no jogo de volta por 1 a 0 no Pinheirão, mas passou pelo placar agregado. Nas semis, o Corinthians derrotou o rival São Paulo em dois confrontos no Morumbi. Na primeira partida, venceu por 2 a 0 e perdeu o jogo da volta por 2 a 1, alcançando a terceira final de sua história – segunda consecutiva – no placar agregado. Na grande decisão, o Corinthians enfrentou o Brasiliense, um clube fundado há menos de dois anos e que havia eliminado equipes de muita tradição no caminho para disputar sua primeira decisão nacional. A primeira partida da final foi disputada no Morumbi, diante de mais de 65 mil torcedores. O Corinthians venceu o duelo por 2 a 1, com dois gols do atacante Deivid, em jogo equilibrado em que o placar só foi alterado na etapa final. O confronto de volta foi disputado na Boca do Jacaré e teve altas doses de emoção para o torcedor corintiano. O Jacaré saiu na frente, ainda na primeira etapa, com gol de Wellington Dias. O resultado dava o título a equipe brasiliense. Mas a vocação do artilheiro falou mais alto. Deivid, depois de cruzamento da esquerda, se colocou entre os zagueiros e testou a bola para o funda da rede. O empate por 1 a 1 se manteve até o apito final, e o Corinthians se sagrou bicampeão da Copa do Brasil. Confira a campanha do Timão no título da Copa do Brasil de 2001: PRIMEIRA FASE 06/02 – River Plate-PI 1 x 2 Corinthians-SP – Albertão, Teresina (PI) 13/02 – Corinthians 2 x 0 River Plate-PI – Pacaembu, São Paulo (SP) SEGUNDA FASE 20/02 – Americano-RJ 2 x 6 Corinthians – Godofredo Cruz, Campos dos Goytacazes (RJ) OITAVAS 13/03 – Corinthians 2 x 2 Cruzeiro-MG – Morumbi, São Paulo (SP) 03/04 – Cruzeiro-MG 2 x 3 Corinthians – Mineirão, Belo Horizonte (MG) QUARTAS 10/04– Corinthians 3 x 1 Paraná-PR – Pacaembu, São Paulo (SP) 17/04 – Paraná-PR 1 x 0 Corinthians – Pinheirão, Curitiba (PR) SEMIFINAL 24/04 – São Paulo-SP 0 x 2 Corinthians – Morumbi, São Paulo (SP) 01/05 – Corinthians 1 x 2 São Paulo-SP – Morumbi, São Paulo (SP) FINAL 08/05 – Corinthians 2 x 1 Brasiliense-DF – Morumbi, São Paulo (SP) 15/05 – Brasiliense-DF 1 x 1 Corinthians – Boca do Jacaré, Taguatinga (DF) Fonte: Assessoria CBF...
Leia Mais...
Notícias
Juventude, campeão da Copa do Brasil de 1999
Na 11ª edição da Copa do Brasil, em 1999, 64 times participaram da competição, que teve o Juventude/RS como campeão inédito. Já conhecido como o "Terror dos Gigantes", o time de Caxias do Sul (RS) chegou ao título após seis vitórias, quatro empates e apenas uma derrota. O goleador da equipe foi o zagueiro Capone, com cinco gols marcados, atrás apenas de Dejan Petkovic (Vitória) e Romário (Flamengo), que fizeram sete gols cada. Um ano depois de se tornar campeão gaúcho invicto, sendo o primeiro título de um time do interior do Rio Grande do Sul em 59 anos, o Juventude iniciou sua campanha vitoriosa na Copa do Brasil diante do Guará/DF. No Bezerrão, venceu por 5 a 1 e eliminou a partida de volta. Na segunda fase, perdeu por 3 a 1 para o Fluminense, no Maracanã, e avançou ao golear por 6 a 0 na segunda partida, no Alfredo Jaconi. Nas oitavas, duas vitórias diante do Corinthians: 2 a 0 e 1 a 0. O adversário seguinte foi o Bahia, onde empatou os dois jogos por 2 a 2. Nos pênaltis, avançou com vitória por 4 a 1. Na semifinal, empatou sem gols com o Internacional, em casa, e aplicou 4 a 0 no time colorado em pleno Beira-Rio. Depois de eliminar times com grande destaque nacional, o Juventude já era o "Terror dos Gigantes" e encarou o Botafogo na grande final. No primeiro jogo, em uma tarde fria em Caxias do Sul, abriu dois gols de vantagem logo no primeiro tempo, com Fernando e Márcio Mixirica. No finalzinho ainda da etapa inicial, o time carioca descontou: 2 a 1. No confronto decisivo, o Juve foi ao Maracanã com mais de 100 mil torcedores alvinegros empurrando o time da casa. Para o Glorioso, uma vitória simples bastava. No entanto, a equipe caxiense se mostrou firme na marcação e na organização. Com o passar dos minutos, o rendimento do time carioca foi caindo, enquanto o Juventude estava cada vez mais perto do feito histórico. Lutando com todas as suas forças, segurou o empate em 0 a 0 e conquistou sua maior conquista até hoje. Relembre a trajetória do campeão: PRIMEIRA FASE 4 de março - Guará/DF 1 x 5 Juventude - Bezerrão SEGUNDA FASE 17 de março - Fluminense 3 x 1 Juventude - Maracanã7 de abril - Juventude 6 x 0 Fluminense - Alfredo Jaconi OITAVAS DE FINAL 27 de abril - Juventude 2 x 0 Corinthians - Alfredo Jaconi30 de abril - Corinthians 0 x 1 Juventude - Pacaembu QUARTAS DE FINAL 12 de maio - Juventude 2 x 2 Bahia - Alfredo Jaconi19 de maio - Bahia 2 (1) x (4) 2 Juventude - Fonte Nova SEMIFINAL 26 de maio - Juventude 0 x 0 Internacional - Alfredo Jaconi2 de junho - Internacional 0 x 4 Juventude - Beira-Rio FINAL 20 de junho - Juventude 2 x 1 Botafogo - Alfredo Jaconi27 de junho - Botafogo 0 x 0 Juventude - Maracanã Fonte: Assessoria CBF...
Leia Mais...
Notícias
Cruzeiro, campeão da Copa do Brasil de 2000
Entre os 69 participantes da Copa do Brasil de 2000, o Cruzeiro levou a melhor e garantiu seu terceiro título da competição. Em uma campanha invicta – com oito vitórias e cinco empates –, a Raposa conquistou a taça após uma final histórica contra o São Paulo, diante de quase 90 mil pessoas no Mineirão. Além disso, o time mineiro teve Oséas como o artilheiro da competição, com dez gols marcados. O Cruzeiro iniciou a competição com empate em 1 a 1 com o Gama/DF, fora de casa. Avançou ao vencer na volta por 4 a 1. O adversário seguinte foi o Paraná, onde a Raposa venceu fora por 2 a 0 e, pelo regulamento, eliminou o confronto da volta. Na terceira fase, triunfos por 3 a 1 e 6 a 1 contra o Caxias/RS. Nas oitavas de final, passou pelo Atlético/PR com vitória por 2 a 1, no Mineirão, e empate em 2 a 2 no Joaquim Américo. Na fase seguinte, uma vitória por 3 a 2 contra o Botafogo, e empate sem gols no Maracanã garantiu o time celeste na semifinal. Para se classificar à grande final, o Cruzeiro venceu o Santos por 2 a 0, no Mineirão, e empatou em 2 a 2 na Vila Belmiro. O título veio com uma final histórica diante do São Paulo. No primeiro jogo, no Morumbi, a Raposa conseguiu neutralizar o forte ataque tricolor e segurou o empate sem gols. Com o critério do gol qualificado, o time mineiro precisava da vitória no confronto decisivo, em Belo Horizonte. Em um jogo muito disputado, os gols só saíram no segundo tempo no Mineirão. Marcelinho Paraíba colocou o São Paulo na frente com belo gol de falta. Precisando então de dois tentos para ficar com o título, a Raposa partiu para o ataque no melhor estilo "tudo ou nada". Quando o jogo ia se aproximando dos minutos finais e o título inédito estava muito perto do São Paulo, Müller, o veterano que tinha entrado no jogo justo quando o Tricolor havia feito seu gol, mostrou sua tarimba para decisões. No meio de campo, ele puxou um ataque rápido, se mandou para a área, recebeu, tabelou com Fábio Júnior, esperou a marcação chegar e deixou para o mesmo Fábio Júnior empatar e incendiar novamente o Mineirão: 1 a 1. Aos 45, a virada histórica! Após muita confusão pelo posicionamento da barreira em cobrança de falta do Cruzeiro, Geovanni ouviu um pedido de Müller para "chutar forte". O meia então correu, bateu forte, viu a barreira abrir e a bola parar no fundo do gol de Rogério Ceni: estava decretada a vitória azulina por 2 a 1 e o tricampeonato da Raposa na Copa do Brasil. Relembre a trajetória do campeão: PRIMEIRA FASE14 de março - Gama/DF 1 x 1 Cruzeiro - Mané Garrincha17 de março - Cruzeiro 4 x 1 Gama - Mineirão SEGUNDA FASE6 de abril - Paraná 0 x 2 Cruzeiro - Pinheirão TERCEIRA FASE27 de abril - Caxias/RS 1 x 3 Cruzeiro - Centenário3 de maio - Cruzeiro 6 x 1 Caxias - Mineirão OITAVAS DE FINAL24 de maio - Cruzeiro 2 x 1 Atlético/PR - Mineirão31 de maio - Atlético/PR 2 x 2 Cruzeiro - Joaquim Américo QUARTAS DE FINAL15 de junho - Cruzeiro 3 x 2 Botafogo - Mineirão22 de junho - Botafogo 0 x 0 Cruzeiro - Maracanã SEMIFINAL 29 de junho - Cruzeiro 2 x 0 Santos - Mineirão2 de julho - Santos 2 x 2 Cruzeiro - Vila Belmiro FINAL5 de julho - São Paulo 0 x 0 Cruzeiro - Morumbi9 de julho - Cruzeiro 2 x 1 São Paulo - Mineirão Fonte: Assessoria CBF...
Leia Mais...
Notícias
Palmeiras, campeão da Copa do Brasil de 1998
Em 1998, Palmeiras e Cruzeiro reeditaram a final da Copa do Brasil de dois anos atrás e, desta vez, o Verdão levou a melhor diante da Raposa e conquistou o primeiro título da competição de sua história. Entre os 42 participantes, a equipe comandada por Luiz Felipe Scolari garantiu o título e teve Paulo Nunes como goleador do time, com cinco gols marcados, ficando atrás dos artilheiros Romário (Flamengo) e Luizão (Vasco), que fizeram seis gols cada. O início do Palmeiras na competição foi na fase preliminar, onde venceu o CSA/AL por 1 a 0, na ida, e 3 a 0 em casa. Na etapa seguinte, empatou em 1 a 1 com o Ceará, no Castelão, e goleou por 6 a 0 no Parque Antarctica. O adversário das oitavas foi o Botafogo, onde perdeu por 2 a 1 no primeiro jogo e venceu por 1 a 0 em casa – avançando pelo critério de desempate de gols marcados fora. O clássico entre Palmeiras e Santos marcou a semifinal. O Verdão se classificou após empate em 1 a 1 em casa, e 2 a 2 na Vila Belmiro. A grande decisão foi diante do Cruzeiro, assim como em 1996, quando o time mineiro ficou com o título. Dessa vez, o Palmeiras conseguiu um virada histórica e levantou a taça. Na ida, no Mineirão, o Verdão perdeu por 1 a 0. No confronto decisivo, em São Paulo, o time alviverde abriu o placar logo aos 12 minutos do primeiro tempo, depois de um cruzamento de Oséas e conclusão de Paulo Nunes. O jogo se encaminhava para os pênaltis até que, aos 44, Zinho cobrou falta da intermediária em direção ao canto direito da meta do Cruzeiro. O goleiro Paulo César fez a defesa parcial, mas não evitou o rebote de Oséas: 2 a 0. O gol improvável do centroavante ficou marcado na história do clube paulista, que conquistava pela primeira vez o título da Copa do Brasil. Relembre a trajetória do campeão: FASE PRELIMINAR27 de janeiro - CSA/AL 0 x 1 Palmeiras - Rei Pelé1 de fevereiro - Palmeiras 3 x 0 CSA - Parque Antarctica 1ª FASE10 de fevereiro - Ceará 1 x 1 Palmeiras - Castelão19 de fevereiro - Palmeiras 6 x 0 Ceará - Parque Antarctica OITAVAS DE FINAL 10 de março - Botafogo 2 x 1 Palmeiras - Maracanã24 de março - Palmeiras 1 x 0 Botafogo - Parque Antarctica QUARTAS DE FINAL7 de maio - Sport 0 x 2 Palmeiras - Ilha do Retiro12 de maio - Palmeiras 1 x 1 Sport - Parque Antarctica SEMIFINAL19 de maio - Palmeiras 1 x 1 Santos - Parque Antarctica23 de maio - Santos 2 x 2 Palmeiras - Vila Belmiro FINAL 26 de maio - Cruzeiro 1 x 0 Palmeiras - Mineirão30 de maio - Palmeiras 2 x 0 Cruzeiro - Morumbi Fonte: Assessoria CBF...
Leia Mais...
Notícias
Grêmio, campeão da Copa do Brasil de 1997
Com 45 participantes na edição de 1997, a Copa do Brasil sagrou o tricampeonato do Grêmio naquele ano. Foram cinco vitórias e cinco empates até o título, tendo Paulo Nunes como artilheiro da competição. O atacante marcou nove gols na campanha invicta do Tricolor Gaúcho. No primeiro jogo do Grêmio, vitória por 3 a 2 diante do Fortaleza, no Castelão. Na volta, 3 a 1 e vaga garantida na fase seguinte. Diante da Portuguesa, vitória por 2 a 1, em Porto Alegre, e empate em 1 a 1 no Canindé. Nas quartas de final, o Tricolor bateu o Vitória por 2 a 0 no Olímpico e empatou por 3 a 3 na volta. Diante do Corinthians, na semifinal, vitória por 2 a 1, no Morumbi, e empate em 1 a 1 em casa. A finalíssima foi decidida contra o Flamengo. No primeiro jogo, o Grêmio segurou o empate em 0 a 0 com dez jogadores em campo (teve Dinho expulso). No Maracanã, diante de quase 100 mil presentes, conquistou o título de forma emocionante. João Antônio abriu o marcador para o Tricolor logo no início de jogo. Ainda na primeira etapa, o time da casa virou com gols de Lúcio e Romário. Quando a partida se encaminhava para o final e a torcida flamenguista já começava a comemorar o título, Roger desceu pela esquerda e cruzou. A bola raspou no marcador e chegou até Carlos Miguel, que entrava em velocidade. Ele deslocou o goleiro Zé Carlos e empatou o jogo: 2 a 2 e o terceiro título do Grêmio na Copa do Brasil. Relembre a trajetória do campeão: PRIMEIRA FASE18 de março - Fortaleza 2 x 3 Grêmio - Castelão25 de março - Grêmio 3 x 1 Fortaleza - Olímpico OITAVAS DE FINAL4 de abril - Grêmio 2 x 1 Portuguesa - Olímpico8 de abril - Portuguesa 1 x 1 Grêmio - Canindé QUARTAS DE FINAL 18 de abril - Grêmio 2 x 0 Vitória - Olímpico3 de maio - Vitória 3 x 3 Grêmio - Fonte Nova SEMIFINAL8 de maio - Corinthians 1 x 2 Grêmio - Morumbi15 de maio - Grêmio 1 x 1 Corinthians - Olímpico FINAL22 de maio - Grêmio 0 x 0 Flamengo - Olímpico27 de maio - Flamengo 2 x 2 Grêmio - Maracanã Fonte: Assessoria CBF...
Leia Mais...
Notícias
Cruzeiro, campeão da Copa do Brasil de 1996
Em 1996, a Copa do Brasil passou a ser disputada por 40 times. Entre eles, o Cruzeiro, que chegou ao segundo título da competição (conquistou a edição de 1993). Na campanha vitoriosa da Raposa, foram quatro vitórias, cinco empates e uma derrota nos dez jogos disputados. O centroavante Marcelo Ramos foi o goleador do time e vice-artilheiro da competição, com sete gols marcados, atrás apenas de Luizão, do Palmeiras, que marcou oito vezes. A estreia do Cruzeiro na competição foi com empate em 1 a 1 diante do Juventus/AC, fora de casa. Na volta, vitória por 4 a 0, no Independência, e vaga assegurada na segunda fase. O Vasco foi o adversário seguinte, e a Raposa avançou após goleada por 6 a 2, no Rio de Janeiro, e empate em 1 a 1, em casa. Nas quartas de final, venceu o Corinthians por 4 a 0 na ida, e avançou mesmo perdendo por 3 a 2 no confronto da volta, no Pacaembu. A semifinal terminou com dois empates com o Flamengo. Com o 1 a 1 no Maracanã, o time celeste se garantiu na final com o 0 a 0 no Mineirão. Na grande decisão, o Cruzeiro enfrentou o Palmeiras, favorito ao título com uma campanha de goleadas na Copa do Brasil e também no Campeonato Paulista – conquistado pelo Verdão, que teve mais de 100 gols marcados. Na primeira partida da final, empate em 1 a 1, no Mineirão. No confronto decisivo, o time paulista abriu o placar logo aos cinco minutos, com o artilheiro Luizão. Mas, ainda no primeiro tempo, Roberto Gaúcho deixou tudo igual para a Raposa. Já no final da etapa complementar, após falha do goleiro Velloso, Marcelo Ramos marcou o gol do título e calou os quase 30 mil palmeirenses presentes no Parque Antarctica. Relembre a trajetória do campeão: PRIMEIRA FASE13 de março - Juventus/AC 1 x 1 Cruzeiro - José de Melo20 de março - Cruzeiro 4 x 0 Juventus - Independência OITAVAS DE FINAL28 de março - Vasco 2 x 6 Cruzeiro - São Januário17 de abril - Cruzeiro 1 x 1 Vasco - Independência QUARTAS DE FINAL 24 de abril - Cruzeiro 4 x 0 Corinthians - Independência 10 de maio - Corinthians 3 x 2 Cruzeiro - Pacaembu SEMIFINAL28 de maio - Flamengo 1 x 1 Cruzeiro - Maracanã 5 de junho - Cruzeiro 0 x 0 Flamengo - Mineirão FINAL14 de junho - Cruzeiro 1 x 1 Palmeiras - Mineirão19 de junho - Palmeiras 1 x 2 Cruzeiro - Parque Antarctica Fonte: Assessoria CBF...
Leia Mais...
Notícias
Grêmio, o campeão da Copa do Brasil 1994
Cinco anos após levantar o troféu da primeira edição, o Grêmio alcançou o bicampeonato da Copa do Brasil. Após bater na trave em 1993 e ficar com o vice-campeonato, o Tricolor gaúcho reforçou o espírito copeiro do clube e ficou com o título do torneio nacional em 1994, novamente de forma invicta. Ao todo, foram dez jogos, com seis vitórias e quatro empates. Apesar de não perder nenhuma partida na competição, a trajetória gremista não foi das mais tranquilas. Após estrear com um empate em 2 a 2 diante do Criciúma, o Tricolor avançou ao vencer a volta por 2 a 1. Diante do Corinthians, o Grêmio abriu 2 a 0 no confronto e carimbou a classificação ao empatar em 2 a 2 no Pacaembu. Para alcançar a semifinal, o time gaúcho bateu o Vitória duas vezes por 1 a 0. Na semifinal e na final, o Grêmio conseguiu levar a melhor nos confrontos dentro de casa após empatar os jogos de ida em 0 a 0. Contra o Vasco, o Tricolor levou a melhor dentro de casa e venceu a volta por 2 a 1. Já na grande decisão com o Ceará, o Imortal contou com o gol de Nildo para fazer a festa do título no Olímpico. Relembre a trajetória do campeão: PRIMEIRA FASE 11 de fevereiro - Criciúma 2 x 2 Grêmio - Heriberto Hülse18 de fevereiro - Grêmio 2 x 1 Criciúma - Santa Rosa OITAVAS DE FINAL 19 de abril - Grêmio 2 x 0 Corinthians - Olímpico28 de maio - Corinthians 2 x 2 Grêmio - Pacaembu QUARTAS DE FINAL 4 de junho - Grêmio 1 x 0 Vitória - Olímpico7 de junho - Vitória 0 x 1 Grêmio - Fonte Nova SEMIFINAL 24 de julho - Vasco 0 x 0 Grêmio - São Januário30 de julho - Grêmio 2 x 1 Vasco - Olímpico FINAL 7 de agosto - Ceará 0 x 0 Grêmio - Castelão10 de agosto - Grêmio 1 x 0 Ceará - Olímpico Fonte: Assessoria CBF...
Leia Mais...
Notícias
Corinthians, campeão da Copa do Brasil de 1995
Disputada com 36 equipes em 1995, a Copa do Brasil teve o Corinthians como campeão daquele ano. O Timão fez uma campanha impecável até chegar ao título. Nas dez partidas disputadas, foram oito vitórias e dois empates, sem nenhuma derrota. O meia-atacante Marcelinho Carioca foi destaque na campanha, se consagrando artilheiro do time com seis gols, além de marcar os tentos decisivos das partidas da final contra o Grêmio. Em sua sétima edição, a Copa do Brasil contou com uma novidade no regulamento. Na fase preliminar e na primeira fase, a equipe visitante que vencesse a primeira partida por três gols ou mais de diferença se classificava, automaticamente, para a etapa seguinte. O Corinthians iniciou a disputa da Copa do Brasil embalado pela conquista do Campeonato Paulista daquele ano. Na primeira fase, empatou em 1 a 1 com o Operário/MT no jogo de ida, e venceu a volta por 4 a 0, em casa. Na segunda fase, o rival foi o Rio Branco do Acre. Com duas vitórias (3 a 0 fora, e 2 a 0 em casa), o Timão chegou às quartas de final, onde enfrentaria o Paraná. No primeiro jogo, empate sem gols. Na volta, triunfo alvinegro por 2 a 1 no Pacaembu. Na semifinal, duas vitórias diante do Vasco: 1 a 0 no Maracanã, e goleada por 5 a 0 no Pacaembu. A decisão foi diante do Grêmio, então atual campeão da competição. No Pacaembu, Viola abriu o placar para o Timão no primeiro tempo. Na volta do intervalo, Luiz Carlos Goiano empatou e, depois, Marcelinho Carioca deu a vitória por 2 a 1 ao Corinthians com gol de falta. No Olímpico, em Porto Alegre, o time paulista jogava pelo empate para ficar com a taça. Aos 27 minutos do segundo tempo, novamente ele, Marcelinho Carioca, fez o gol que garantiu a vitória por 1 a 0 e o primeiro título do Corinthians na Copa do Brasil. Relembre a trajetória do campeão: PRIMEIRA FASE3 de março - Operário/MT 1 x 1 Corinthians - José Fragelli28 de março - Corinthians 4 x 0 Operário - Parque São Jorge OITAVAS DE FINAL11 de abril - Rio Branco/AC 0 x 3 Corinthians - José de Melo25 de abril - Corinthians 2 x 0 Rio Branco - Pacaembu QUARTAS DE FINAL 3 de maio - Paraná 0 x 0 Corinthians - Couto Pereira16 de maio - Corinthians 2 x 1 Paraná - Pacaembu SEMIFINAL24 de maio - Vasco 0 x 1 Corinthians - Maracanã 30 de maio - Corinthians 5 x 0 Vasco - Pacaembu FINAL14 de junho - Corinthians 2 x 1 Grêmio - Pacaembu21 de junho - Grêmio 0 x 1 Corinthians - Olímpico Fonte: Assessoria CBF...
Leia Mais...
Notícias
Cruzeiro, campeão da Copa do Brasil 1993
O Cruzeiro sagrou-se campeão da Copa do Brasil pela primeira vez em 1993. Depois de uma "década perdida" – na qual venceu apenas dois estaduais – a Raposa deu a volta por cima na década de 90 e conquistou o título inédito na quinta edição do torneio nacional. A conquista garantiu o retorno da equipe mineira à Taça Libertadores da América, competição que o clube não disputava desde 1977. Durante a trajetória vitoriosa, o Cruzeiro disputou 10 jogos com cinco vitórias, quatro empates e uma derrota. Na estreia, a Celeste despachou a Desportiva/ES. O único revés da Raposa foi sofrido diante do Náutico no jogo de ida das oitavas de final. Em casa, a equipe mineira se recuperou e ficou com a vaga ao vencer por 2 a 0. Tanto nas quartas (São Paulo) como na semifinal (Vasco), o Cruzeiro se classificou ao vencer o jogo de ida e empatar o duelo de volta. Na primeira final, no Estádio Olímpico, em Porto Alegre, os dois times empataram sem gols. A grande decisão ficou para Belo Horizonte. Quem vencesse, ficaria com o título da Copa do Brasil. No Mineirão, dia 3 de junho de 1993, pouco mais de 70 mil torcedores viram o Cruzeiro derrotar o Grêmio por 2 a 1 com gols de Roberto Gaúcho e Cleison. Pingo marcou o gol gaúcho. Relembre a trajetória do campeão: PRIMEIRA FASE 16 de março - Desportiva/ES 1 x 1 Cruzeiro - Engenheiro Araripe19 de março - Cruzeiro 5 x 0 Desportiva/ES - Mineirão OITAVAS DE FINAL 6 de abril - Náutico 1 x 0 Cruzeiro - Eládio Carvalho13 de abril - Cruzeiro 2 x 0 Náutico - Mineirão QUARTAS DE FINAL 4 de maio - São Paulo 1 x 2 Cruzeiro - Morumbi11 de maio - Cruzeiro 2 x 2 São Paulo - Mineirão SEMIFINAL 20 de maio - Cruzeiro 3 x 1 Vasco - Mineirão27 de maio - Vasco 1 x 1 Cruzeiro - Maracanã FINAL 30 de maio - Grêmio 0 x 0 Cruzeiro - Olímpico3 de junho - Cruzeiro 2 x 1 Grêmio - Mineirão Fonte: Assessoria CBF...
Leia Mais...
Notícias
Internacional, campeão da Copa do Brasil 1992
Em 1992, o Internacional igualou o rival Grêmio no número de títulos da Copa do Brasil. Assim como em 1989, o Colorado levantou o troféu do torneio nacional pela primeira vez. A quarta edição da competição superou as anteriores na média de gols com 2,66 por jogo. Ao todo foram 165 bolas na rede. O Internacional contou com o artilheiro Gerson da Silva para se sagrar campeão da Copa do Brasil. O atacante contribuiu com nove dos 20 gols marcados pelo Colorado e conquistou a chuteira de ouro do torneio pela terceira vez (1989, 91 e 92). O feito de Gerson segue sem ter sido alcançando até os dias de hoje. Após confirmar o favoritismo diante do Muniz Freire/ES, o Internacional não deu chances ao Corinthians, goleou os paulistas por 4 a 0 em Pacaembu e alcançou as quartas de final com o empate sem gols no Beira-Rio. Diante do Grêmio, o Colorado despachou o maior rival nos pênaltis por 3 a 0, após dois empates em 1 a 1. Com duas vitórias sobre o Palmeiras, os gaúchos se garantiram na final. Apesar da derrota por 2 a 1 na ida, o Inter venceu o Tricolor por 1 a 0 no Beira-Rio e levantou o troféu graças ao gol marcado fora de casa. Relembre a trajetória do campeão: PRIMEIRA FASE 14 de julho - Muniz Freire/ES 1 x 3 Internacional - Mario Monteiro11 de agosto - Internacional 5 x 0 Muniz Freire - Beira-Rio OITAVAS DE FINAL 9 de outubro - Corinthians 0 x 4 Internacional - Pacaembu20 de outubro - Internacional 0 x 0 Corinthians - Beira-Rio QUARTAS DE FINAL 6 de novembro - Grêmio 1 x 1 Internacional - Olímpico17 de novembro - Internacional 1 x 1 Grêmio - Beira-Rio SEMIFINAL 27 de novembro - Palmeiras 0 x 2 Internacional - Parque Antártica8 de dezembro - Internacional 2 x 1 Palmeiras - Beira-Rio FINAL 10 de dezembro - Fluminense 2 x 1 Internacional - Álvaro Chaves13 de dezembro - Internacional 1 x 0 Fluminense - Beira-Rio Média de gols das quatro primeiras edições 1989 - 2,28 (138 em 61 jogos)90 - 1,92 (119 em 62)91 - 2,06 (128 em 62)92 - 2,66 (165 em 62) Fonte: Assessoria CBF...
Leia Mais...
Notícias
Flamengo, campeão da Copa do Brasil de 1990
Assim como o Grêmio em 1989, o Flamengo também conquistou o título da Copa do Brasil de forma invicta. Na segunda edição do torneio nacional, em 1990, o Rubro-negro se sagrou campeão com seis vitórias e quatro empates. O ataque carioca terminou a competição como o mais positivo. Ao todo, foram 20 gols marcados, uma média de dois por jogo. O atacante Gaúcho liderou as estatísticas do clube no quesito artilharia com quatro bolas na rede, três a menos que Bizu, do Náutico. O Flamengo iniciou a caminhada com duas goleadas para cima da Capelense/AL. Na sequência, o Rubro-negro superou o Taguatinga com vitória por 2 a 0 na ida e o empate em 1 a 1 na volta. Contra o Bahia, após empatar em 1 a 1 fora de casa, o time carioca avançou ao vencer o duelo decisivo por 1 a 0. Na semifinal, o Flamengo bateu o Náutico no Maracanã por 3 a 0 e ficou com a vaga após o empate em 2 a 2 nos Aflitos. Na final, após a vitória por 1 a 0 em Juiz de fora, os cariocas seguram o empate sem gols diante de 45.504 torcedores pagantes no Serra Dourada e ficaram com o título. Relembre a trajetória do campeão: PRIMEIRA FASE 21 de junho - Flamengo 5 x 1 Capelense/AL - em Moça Bonita 5 de julho - Capelense 0 x 4 Flamengo - Rei Pelé OITAVAS DE FINAL 10 de julho - Flamengo 2 x 0 Taguatinga/DF - Gávea 15 de julho - Taguatinga 1 x 1 Flamengo - Serejão QUARTAS DE FINAL 25 de julho - Bahia 1 x 1 Flamengo - J. Princesa 28 de julho - Flamengo 1 x 0 Bahia - Juiz de Fora SEMIFINAL 13 de setembro - Flamengo 3 x 0 Náutico - Maracanã16 de outubro - Náutico 2 x 2 Flamengo - Aflitos FINAL1º de novembro - Flamengo 1 x 0 Goiás - Juiz de Fora7 de novembro - Goiás 0 x 0 Flamengo - Serra Dourada Fonte: Assessoria CBF...
Leia Mais...